sábado, 7 de abril de 2012

Capítulo Paralelo :: "Eu, Meus Sapatos e Os Namorados"





Colapso Emocional 







– Alô? Isabela? – ela grunhiu do outro lado da linha – Acorda amapoa. To preocupado!
Lucas? O que aconteceu?
– Karla. Ela não me atende.
E daí? Ela tem as luas dela.
– Você já viu as fotos que ela postou no Instagram? Comida... besteira... lixo... isso não é normal. – Isabela parecia analisar os fatos – E outra, entrei no Facebook dela antes de ontem, e vi uma conversa dela com o Julio.
Ai meu Deus... ele deu o fora?
– Pior... ela deu o fora.
Hein??? Não faz o menor sentido!
– Justamente. Então ela some o feriado inteiro e ainda não me atende. Alguma coisa não está certa... A Paula tá me ligando. Liguei pra ela agora a pouco. Vou colocar ela na linha...
Oi vadias. Acabei de falar com o Rafael, e parece que a Karla não apareceu no jantar da família ontem. Então, o papo sério mesmo.
– Então pronto. Motivos suficientes pra intervirmos. Encontro vocês em meia hora na porta do prédio dela.
Meia hora não, viado! To fazendo meu cabelo. – falou Paula.
– Tá! Uma hora. Aproveita e leva esse teu material de travesti.

Fim da ligação.

Uma hora e meia depois elas estavam em frente ao prédio vermelho. Paula foi a ultima a chegar, saindo do táxi cheia de sacolas. Ignorando o olhar repreendedor de Lucas pelo seu atraso, ela passou jogando o cabelo e entrando no prédio com os dois logo atrás. Já no hall, um som alto invadiu seus ouvidos, e parecia estar vindo do apartamento de Karla. A música simplesmente se repetia, “Good Girl” da Carrie Underwood tocava alto e parecia sem fim. Elas se entreolharam e tocaram a campainha.  Nada. Bateram a porta, e nada. Então Lucas puxou a maçaneta, estava aberta.

Assim que entraram, uma camada de restos de comida no chão lhe receberam. Calcina, blusa e shorte pareciam se misturar na sala. Pratos sujos e cheios de formiga enfeitavam as mesas. Pacote de salgadinho e um cheiro de pipoca com chocolate se misturava no ar. Parecia que uma festa dos sem-teto tinha rolado na noite anterior. Na televisão, um filme aparentemente romântico estava passando, mas seu som era abafado pela música alta.

Quando foram surpreendidas por pisadas fortes vindo do quarto, Lucas e Isabela correram para atrás de Paula que sacou o secador da bolsa e apontou para o corredor. Uma Karla totalmente descabelada vinha pulando do quarto em direção à sala. Eram braços e pernas sem direção e uma cabeça giratória. Uma blusa longa e uma calcinha bege era tudo que preenchia seu figurino. Lucas levou as mãos à boca e Isabela parecia paralisada. Paula engoliu o susto e desligou o som. Karla parecia desnorteada e se assustou com as amigas alí em sua sala.

– Gente! – falou com a voz rouca e abafada – Mas que surpresa!
– O que é isso, mulher?! – Lucas foi o primeiro a falar.
– He’s no goooooooooood! NO GOOOOOD FOR YOUUU!!! – Karla começou a repetir sem parar.
Lucas avançou em cima dela, agarrando-a pelos braços e lhes deu um tapa na cara que a fez cair no chão. Isabela deu um grito de susto.
– Você tá louco? Eu to morta, não to dormente. – resmungou Karla sentada no chão.
– O que você pensa que tá fazendo, mulher? Que morta o que? – gritou ele. Então ela começou a chorar – Ai Deus! – disse ele batendo os braços e foi na cozinha pegar um saco grande e começou a jogar as embalagens de comida dentro. Isabela pegou uma vassoura e sem saber exatamente o que estava fazendo, começou a varrer as migalhas.
Paula se aproximou dela no chão e começou e arrumar seus cabelos, as sobrancelhas peludas de Karla lhe deram um susto.
– Minha filha... a que ponto chegamos... – e lhe enxugava as lágrimas. – Não acredito que o Julio mexeu tanto assim com você.
– Nem tanto... Mas foi intenso demais! Nem é tanto por ele. É por mim mesma. Não tenho a porra de sorte nenhuma nessa vida!  - soluçava Karla.
– Como assim?! Gente, e o Bruno? O George... Se eu tivesse sorte pra homem gostoso assim eu tava mais feliz!
– Ahhh Paula, você é perfeita! Pega homem mais gostoso que eu e ainda consegue separar as coisas! Eles ficam loucos por você e você sai ilesa! Ahh se eu fosse assim...
– Babyzinha, tudo é uma questão de treino... agora levanta daí, vai. Vamos tomar um banho.

Enquanto Paula esfregava com força a pele de Karla com uma esponja, Lucas entrou no banheiro.
– A Isa tá terminando de limpar tudo... AHH! – a visão entre as pernas de Karla lhe paralisou – O que é essa tarântula aê, gente?!
– Ai, para viado! Num quero papo... pra que se homem só quer isso mesmo? Pois que tenha assim, como Deus fez.
Paula deu uma risada.
– Deus fez, uma porra. Cadê a cera, já!
Dez minutos depois ele reapareceu com uma panela quente e uma tigela de vidro dentro da água fervente. Karla choramingou.
– Amor, é pro seu bem. – disse Paula.

Foram longos vinte minutos de resmungos e gritos de dor vindos do banheiro, e Isabela terminava de jogar as roupas no cesto quando chegou no quarto, todas estavam sentadas na cama, Paula secava os cabelos de Karla com o secador.
– Isa, me passa a pinça que tá na bolsa roxa. - peiu Lucas.
E os olhos de Karla surgiram enfim, depois que sua grossa sobrancelha desapareceu.
– Agora me conta, o que aconteceu? Por que dispensou o Julio se ainda gosta dele? – perguntou Paula, manuseando o secador numa mão e a escova em outra.
– Ah, cansei. Ele não tava afim de nada sério. Eu não ia ficar investindo em algo incerto. Ele tava passando por muitos problemas e não me deixava ajudar...
– Isso me parece desculpa esfarrapada. – disse Isabela separando os esmaltes.
– Pode ser. Mas talvez estejamos apenas em momentos diferentes. Então antes que eu caísse de cabeça nessa, achei melhor esclarecer as coisas e cada um na sua.
– Ai... dispensou aquela boca? Coragem... – disse Lucas.
– Assim, deixei claro que se ele quiser ficar, até pode ser...
– Mas você sabe que isso é perigoso né, amor? Ele pode achar que tem você quando ele quiser. – disse Isabela.
– Que pense. To nem aí. Ele transa bem mesmo. Se quiser, que venha. Só não posso mais é ficar esperando. Mas bateu uma depressão, sabe... eu adorei demais ele. Queria tanto que tivesse dado certo... Sou uma azarenta. Sempre que eu quero, que eu gosto, não da certo!
– Mas quando o bofe fica louco por ti, tu se faz de doida. – resmungou Lucas – O Bruno ficou semanas na tua cola.
– Pois é... eu queria poder mandar no coração... eu até tento... mas é foda...
– Agora chega dessa palhaçada. – disse Paula, jogando o cabelo sedoso e escovado de Karla pra frente – Vamos terminar aqui logo que eu tenho um monte de coisa pra organizar ainda. Quero vocês em duas horas na The One. É quando vou mandar o Taio começar a dançar.
– Não! O Taio vai dançar hoje?! Estou em chamas! – Lucas se abanou.
– Não gente.. Não quero balada hoje.. na boa.  – disse Karla.
– Ah não! Até eu to querendo! Vou avisar pro Vini que ele tá liberado pro jogo na casa dos amigos. – Isabela pegou o celular.
– Sem desculpas. – Paula se levantou, pegou a bolsa e olhou pro reflexo de Karla no espelho – Meu trabalho aqui está pronto. – disse orgulhosa de si mesma – E aproveita e passa na Cloe Shoes e pega aquele scarpin azul de veludo que você gostou. Já está separado.
– Ah! Sério?!?!?! – Karla se emocionou – Isso é chantagem cara!
– Então sem desculpas. Beijos. - e saiu fazendo barulho com seu salto porta afora, e gritou da sala – Nossa! Vou chamar vocês pra limparem minha casa. Arrasou!

Karla se olhou no espelho e de repente se sentiu renovada. Aqueles dias foram ótimos pra colocar tudo pra fora. Agora já era tempo de sair e brilhar novamente. Até porque seus sapatos eram os mais bonitos da noite.

Nenhum comentário:

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...