quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

"Apenas uma Flor na Cama"


Eu estava olhando uns arquivos em CDs e achei meu livro de poesias que comecei a fazer, mas nunca terminei. Engraçado, olhando esses textos, eu tinha esquecido de como eu transmitia sentimentos ao escrever. Essas poesias são de 2007 ou até mesmo antes disso, e intitulei-o de “Apenas Uma Flor na Cama”, e até hoje ainda lembro qual a ideia da capa. O livro é dividido em três partes, “Por Tristeza”, “Por Amor”, “Por Estar Bem” e uma final “Dedicatórias” que são poesias específicas para determinadas pessoas. Quem sabe um dia isso vira um projeto mais concreto.

Essa poesia é a que dá título ao livro, é uma das que eu mais gosto por conter tanto sentido subentendido nas frases. 




Sentado na Janela

Posso te tocar
Posso te sentir
Mas nunca poderei te ter
Por alguns momentos
Por algumas horas
Sinto a falta aumentar
E o sentimento nunca diminuir
Por mais que eu tente esquecer
Por mais que eu tente suportar         
Você ainda aparece em meu espelho
E quando você não está aqui
O sol nunca sai da minha janela
A flor que você deixou, e partiu
Nunca sorri
Apenas continua adormecida
Em cima da cama
Onde te amei
Onde nos amamos
Quando vais voltar?
Quando vais ligar?
Até quando vou permanecer sentado na janela
Contemplando o sol que nunca se põe? 






Um comentário:

Raony disse...

me arrepiei. uuii

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...