terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Gays e Tudo o mais...



Ultimamente tem se falado muito em homossexualidade e todos os seus direitos e igualdade, campanhas e movimentos LGBT e esquecemos que essa história é mais velha que os romanos.

Podíamos pensar que esses direitos não são deles, os gays, mas são nossos, o ser humano. Demorou-se décadas para que os negros conquistassem respeito e reconhecimento. Os judeus passaram por tempos difíceis até muitos perceberem que são um povo extremamente rico. Então me pergunto quanto tempo vamos levar para simplesmente poder-se andar de mãos dadas sem os próprios gays olharem espantados e dizerem “Olha a rasgação!”. Rasgação de afeto? Rasgação de carinho? Companheirismo e cumplicidade? Sim, rasgação de sentimento. Sentimento que muitos têm medo de demonstrar porque outros têm mais medo ainda de sujar a imagem da família e até mesmo enfrentar de cara limpa essa discriminação.

Família composta por pais gays, que decidiram ter filhos e criá-los em um novo conceito de respeito e igualdade além dos velhos princípios de caráter. Sim, não é só porque se escolhe amar uma pessoa do mesmo sexo que a reprodução ficou fora de questão, um argumento muito usado pela igreja e famílias conservadoras, que pra mim esses ficaram extremamente ultrapassados em suas ideias (Se bem que nos tempos de hoje, um controle de natalidade cairia bem nessa era de superpopulação). Mas consta que uma criança criada num meio onde a homossexualidade é natural, tem-se mais carinho e respeito dentro de sua criação e caráter, e que isso seja levado adiante.

Parece que quanto mais se fala em igualdade e respeito, mais violência acontece. Mais agressões e gente ‘conservadora’ revoltada querendo enfrentar e eliminar de vez essa forma diferente aos olhos de viver. Não é uma escolha, nem uma opção, é uma característica. “Tenho olhos verdes, cabelos escuros, 1 metro e 75 e sou gay”. Simples assim, nasce com você e ao decorrer da vida isso se manifesta de várias formas diferentes de acordo com a criação. E por mais que se lute contra isso, uma hora se torna maior que você mesmo, e a vontade de ser feliz e poder beijar alguém com tanto desejo e carinho for possível é maior que tudo! E você simplesmente decide aceitar. Quando você se aceita, é apenas o primeiro passo e o mais importante para enfrentar qualquer obstáculo.


Por isso, quando você ver alguém de mãos dadas em demonstração de carinho, reconheça nesse ato a coragem e admire. E lembre-se, violência só gera violência e isso é uma grande bola de neve. Mas defenda-se, com as armas que você possuir, e a maior delas é o amor. Na falta dele, olhe para si mesmo e sinta orgulho de ser ÚNICO. E se duvidar, ESPECIAL.

E se está difícil em casa, dê tempo ao tempo. Os pais, mais cedo ou mais tarde, lembrarão quem são seus filhos e os laços falarão mais alto que qualquer preconceito, por que tudo é a falta de informação. Então tenha paciência. Agarre-se nele, o maior de todos os poderes e a maior de todas as forças, DEUS, porque se ele ei de ser tão perfeito, te fez na mesma perfeição.










E como disse Arnaldo Jabor:










Pense nisso.





quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Paradoxo do Nosso Tempo






“ Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos
frequentemente.

Nós bebemos demais, gastamos sem critérios. Dirigimos
rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde,
acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV
demais e raramente estamos com Deus.

Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.

Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos
à nossa vida e não vida aos nossos anos.


Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a
rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas
não o nosso próprio.

Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.

Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo,
mas não nosso
preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos
menos; planejamos mais, mas realizamos menos.

Aprendemos a nos apressar, e não a esperar.

Construímos mais computadores para armazenar mais
informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos
comunicamos cada vez menos.

Estamos na Era do 
fast-food” e da digestão lenta;
do homem grande, de caráter pequeno; lucros acentuados e
relações vazias.

Essa é a Era de dois empregos, vários divórcios, casas
chiques e lares despedaçados.

Essa é a Era das viagens rápidas, fraldas e Moral
descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das
pílulas 'mágicas'.

Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na
dispensa.

Uma Era que leva essa carta a você, e uma era que te
permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar
'
delete'.

Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas
não estarão aqui para sempre.

Lembre-se de dar um abraço carinhoso em seus pais, num amigo,
pois não lhe custa um centavo sequer.

Lembre-se de dizer 'eu te amo' à sua companheira(o)
 e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, se ame...
Se ame muito!

Um beijo e um abraço curam a dor,
quando vêm de lá de dentro.

Por isso, valorize sua família e as pessoas que estão ao
seu lado, sempre!!!!! ”






Acho que esse texto por si só se resume perfeitamente. Essa é a nossa Era, basta pensar se é assim que queremos permanecer, nós ou nossos filhos, porque com o tempo e esse “fast-food”de informações desnecessárias, quem ficará "obeso" é nossa futura geração.


Pense nisso.



quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Saudade

“Um dia a maioria de nós irá se separar.
Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora,
das descobertas que fizemos,
dos sonhos que tivemos,
dos tantos risos e momentos que compartilhamos. 
Saudades até dos momentos de lágrima,
de angústia, 
das vésperas de finais de semana,
de finais de ano, 
do companheirismo vivido. 
Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre. 
Hoje não tenho mais tanta certeza disso. 
Em breve cada um vai pra seu lado,
seja pelo destino, 
ou por algum desentendimento,
segue a sua vida,
talvez continuemos a nos encontrar quem sabe...
Nos e-mails trocados. 
Podemos nos telefonar e conversar algumas bobagens.... 
Aí os dias vão passar,
Meses...
Anos...
Até este contato tornar-se cada vez mais raro. 
Vamos nos perder no tempo...
Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão
Quem são aquelas pessoas? 
Diremos que eram nossos amigos.
E...... Isso vai doer tanto! 
Foram meus amigos,
foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida! 
A saudade vai apertar bem dentro do peito. 
Vai dar uma vontade de ligar,
ouvir aquelas vozes novamente... 
Quando o nosso grupo estiver incompleto,
nos reuniremos para um último adeus de um amigo.
E entre lágrima nos abraçaremos. 
Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. 
Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado. 
E nos perderemos no tempo.
Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo:




Não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades seja a causa de grandes tempestades. Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!”







Fernando Pessoa










Esse texto me fez pensar sobre todas as amizades que entraram e saíram da minha vida, mesmo que esse sair não signifique permanentemente, porque o que mais nos liga às pessoas são os sentimentos e as lembranças. E quando penso nisso, penso que poderia ter aproveitado mais o tempo que passamos juntos, não ter deixado pra depois alguma coisa que poderíamos ter feito, e repensar sobre acontecimentos que de certa forma, graças a essa pessoa, aprendemos e crescemos.

Penso nisso, mas dentro de mim, tenho a certeza de que um dia iremos nos encontrar novamente, porque em um determinado período de nossas vidas formamos um laço tão forte que nos acompanhará aonde formos, e quando já estivermos adultos e as mascas das preocupações e experiências de vida marcarem nosso rosto, olharemos nos olhos um do outro e veremos aquela criança com aquele sorriso que tanto nos fez feliz quando mais precisávamos. E isso percorrerá por gerações...

Sempre achei que amizade fosse a coisa mais importante para uma pessoa, e de fato, comprovei isso. Assim como nossa família, nossos amigos nos formaram e nos ensinaram como lidar com cada passo de cada vez. Sempre juntos. Não simplesmente nos impedindo de cair, mas nos dando a mão para levantar e continuar seguindo.

Por isso meus amigos são e sempre serão parte de mim. Mesmo que algo aconteça para nos fazer brigar ou nos afastar, mas um algo mais forte irá nos ligar para sempre, nos juntando novamente, ou não. Isso é a vida quem decide por nós, mas mal sabe ela que quem toma a decisão final somos nós mesmos.


Assim, decido, sem revogação, ter VOCÊ para sempre em minha história.




linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...